30 jun 2023
AVANÇOS NA ELETROMOBILIDADE AMPLIAM POSICIONAMENTOS DE GRANDES CIDADES POR VEÍCULOS SUSTENTÁVEIS
Cansado de ler? Então ouça este artigo:

No último trimestre de 2022, a SPTrans, órgão responsável pelo transporte público da cidade de São Paulo, comunicou oficialmente que a partir de então, serão impostas restrições para a compra de novos ônibus movidos a diesel. De acordo com o Programa de Metas da capital paulista, entre os anos de 2021 e 2024, serão incluídos 2.600 ônibus elétricos na cidade.

A medida adotada pela maior capital do Brasil norteou os debates entre os profissionais e empresas que atuam no setor automotivo e, com o olhar atento às necessidades de inovações tecnológicas para o futuro da mobilidade que está cada vez mais próximo de todos.

Positivamente, os órgãos públicos já compreenderam que eletrificação veicular é fundamental para o meio ambiente, assim como os proprietários de carros particulares que também aderem, gradativamente, a este novo modelo de motorização.

Dados da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE) revelou que  o ano de 2022 fechou com números representativos, alcançando a marca de 49.245 unidades elétricas emplacadas, totalizando uma frota eletrificada circulante de 126.504 veículos em todo território nacional.

Diante deste cenário, o transporte de passageiros busca equilibrar essa conta e aumentar as opções de veículos sustentáveis para os cidadãos que circulam nos grandes conglomerados brasileiros e, com o incentivo de cidades como a de São Paulo, outras localidades certamente começarão a seguir o bom exemplo. Aliás, Salvador e São José dos Campos são dois exemplos de cidades que investem fortemente na ampliação das frotas de veículos elétricos.

Apesar dos avanços, ainda surgem dúvidas constantemente em relação à infraestrutura destinada ao reabastecimento dos ônibus elétricos, mas como adiantei em uma reflexão há exatamente um ano, é preciso avaliar como serão feitas as recargas para que carros, caminhões e ônibus eletrificados consigam circular com maior autonomia, uma vez que a massificação dos veículos elétricos exige condições estruturais das cidades para receber esses pontos de recarga, seguindo um número semelhante de opções de postos de combustível para veículos comuns.

Como um ponto de equilíbrio, a ABVE relatou que o número de postos de recargas chegou a 754 estações de recargas públicas e semipúblicas no Brasil, em 2021. A expectativa para que os números de 2022 represente um crescimento neste total.

Com o aumento da demanda, a fabricação de ônibus elétricos brasileiros se expandirá, com a capacidade de atendimento às exigências de cada um dos órgãos públicos, de acordo com as características de cada mercado.

O crescimento da eletrificação veicular trará resultados positivos para o transporte coletivo e para todo o futuro da mobilidade, seja pelos avanços tecnológicos dos veículos ou pela infraestrutura adaptada ao ecossistema que envolve a eletrificação.

COMPARTILHAR

RECEBA NOSSAS

NOVIDADES

A Marcopolo segue as leis de LGPD. Veja nossa política

Coordenação Geral

Departamento de Marketing

[email protected]

Produção e edição de textos

Sabrina Leme MTB-RS 15062

Projeto Gráfico

Vinicius Pauletti